terça-feira, 27 de junho de 2017

Paixão, uma doce ilusão...


Paixão, uma doce ilusão...

O acaso da seta do cupido faz-nos sentir emoções fortes por uma pessoa que até aquele momento foi percepcionado como um simples ser humano mortal.

A paixão faz-nos acreditar que a outra pessoa é divina, que detém super poderes, super qualidades. Que doce ilusão.

É na relação com a outra pessoa, que a vamos conhecendo e que nos vamos conhecendo.

É na relação com a outra pessoa, que vamos construindo castelos ilusórios, ao sabor da paixão.

É na relação com a outra pessoa, que vamos projetando os nossos sonhos, os nossos desejos, as nossas necessidades na outra pessoa.

Gostamos da outra pessoa porque nos identificamos com ela. Encontramos nela, algo que é nosso: algo que gostaríamos ter sido no passado, algo que gostaríamos de ser no futuro, algo que gostávamos de ser no presente.

Até ao dia que tomamos consciência que a outra pessoa não é como imaginávamos. Afinal, o querer da outra pessoa é diferente do nosso querer. Afinal, a outra pessoa é tão humana como nós, talvez com mais defeitos que nós próprios. Sentimos-nos traídos, enganados, desiludidos.

É na relação com a outra pessoa, que vamos reconstruindo as nossas crenças, os nossos pensamentos, as nossas emoções, os nossos comportamentos. Vamos-nos transformando na relação.

É quando aceitamos relacionar-nos com a outra pessoa tal como ela é, com as suas qualidades, defeitos e tempos, que as ilusões caem por terra. Quando aceitamos a outra pessoa tal como ela é.

Quando nos aceitamos tal como somos.

Todos somos humanos, com qualidades, defeitos, ritmos, em constante evolução. Quando aceitamos isto, estamos prontos para viver relacionamentos harmoniosos.

Autoria: Sandra Mendes

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Coincidências vs. Sincronicidades


Coincidências...
Ocorrência de dois ou mais eventos sem uma relação de causa e efeito entre eles.

Exemplos de coincidências:
. No momento em que penso numa pessoa, ela telefona-me.
. Estou a falar sobre uma pessoa, e ela aparece naquele instante.
. Identifico que preciso de comprar uma flor, um Girassol para decorar a sala da minha casa. No dia seguinte, vejo um anúncio, na televisão, de uma loja que vende girassóis.
. Comento com um amigo que gostava de sentir o cheiro de um girassol. Dias depois, durante uma viagem de carro vejo um campo de girassois. Paro o carro e vou cheirar os girassóis.


Sincronicidade
...
Ocorrência de dois ou mais eventos que coincidem de uma maneira significativa para uma ou mais pessoas.

Exemplos de sincronicidades:
. Durante o dia, comento com uma amiga sobre o sonho da noite passada, no qual sonhei com um escaravelho. Na altura, olho para o chão e vejo um escaravelho no chão.
. Ao sair de casa, encontro um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos. Chego ao trabalho e tomo conhecimento que tenho um novo colega de trabalho, é um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos. No final do dia, ligo a televisão e vejo que um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos, está a ser entrevistado no Telejornal.

Mais palavras para quê!


Se existe a possibilidade de algo correr mal, então pode correr da pior forma.

domingo, 25 de junho de 2017

sábado, 24 de junho de 2017

Assumir o comando da vida


Assumir o comando da vida.
Sentir o que há para fazer.
Fazer o que se tem de fazer.
Podes chegar a uma bifurcação ou vais para a direita ou para a esquerda.
Tens de te concentrar.
Tens de interiorizar.
É hora de subir cá acima, tentar sentir onde está a luz, e segui-la.
Esse é o comando.
Isso é que é assumir o comando da vida.
Dois caminhos.
Ter de escolher.
Aceitar escolher a luz.
Assumir o comando.
Ir lá acima sentir qual dos caminhos é de luz.
Escolher.
Seguir o seu caminho.

Fonte: livro "Luz", Alexandra Solnado